O Mundo da Moda

shatenka-chernoe-plate-les

Recentemente, li um artigo que mostrava de que forma o mundo da moda pode ser um aliado e um vilão. Achei importante levantar essa questão aqui no blog já que a moda é uma indústria que toma cada vez mais proporções catastróficas.

Esse mercado bilionário é o segundo maior contribuidor para o aquecimento global sendo responsável por 10% de emissões de carbono, ela só perde para a indústria de óleo e gás.

Muito se fala sobre o trabalho escravo que é uma realidade na vida de famílias que vivem em lugares muito pobres, como no Camboja. No entanto, esse tipo de trabalho feito em condições precárias acaba por ser o único meio de subsistência dessas pessoas. Muitos não querem que acabe, mesmo sofrendo com o ganha-pão deles.

A dura realidade desses trabalhadores está mudando aos poucos com a ajuda de iniciativas que querem encontrar formas de exigir dos donos dessas grandes empresas dêem condições melhores de trabalho, assim como um salário maior para esses operários.

Mas o trabalho escravo não é o único problema. Estima-se que sejam gastos 1.300 litros de água só para fazer uma blusa. Imaginem o quanto uma fábrica inteira não gasta por dia. E não pára por aí. Leve em consideração também o gasto de água para o cultivo da matéria prima desses produtos. O algodão, por exemplo, gasta muito mais água e utiliza muito mais pesticidas do que a fibra de urtiga, que é um isolante térmico natural e não é atacada por muitas pragas.

Outro exemplo que vale a pena ser citado é o material polietileno que vocês já leram sobre aqui. Ele libera milhares de micropartículas que direto para os oceanos a cada lavagem que fazemos.

Muitas comunidades pobres em países como a Índia e Indonésia estão sofrendo porque indústrias têxteis estão acabando com fontes de pesca, como o Mar Aral que fica na Ásia Central. Ele está secando pouco a pouco por causa da utilização das fábricas. Isso sem contar na quantidade de poluição em outras bacias ao redor das fábricas, que acabam por deixar a população local doente e com doenças que não podem ser tratadas justamente por causa da baixa renda dessas famílias.

Isso deixa de ser apenas um problema social e ambiental e se torna um problema de todos. A quantidade de água existente hoje já não pode se revitalizar porque não damos o tempo devido para que ela se renove. Isso se dá pelo grande contingente populacional no mundo.

Já existem marcas de roupas que se preocupam em ser mais humanizadas e reduzir  seus impactos ambientais. Embora as intenções sejam ótimas, ainda assim estamos reduzindo ao invés de reduzir. Acho muito legais as propostas de lojas como Huge, Ada e Myneral, que apostam no modelo de upcycling que é um movimento muito importante rumo a um mundo #100lixo.

Brechós ainda são opção também quando você busca roupas novas por um custo menor. Antigamente era muito comum ver moças comprando roupas usadas em lojas que eram chamadas de boutiques e tinham ares mais glamurosos. Podemos voltar a ter esse tipo de cultura para gerar menos lixo, rendas para esses vendedores e gastar menos água. Nesse momento, essas são as opções de menos impacto.

Deixe sua opinião nos comentários e poste suas fotos #100lixo no Instagram.

Fontes: +Alma, Forbes

Imagem: Google

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s