Furoshiki: Uma Alternativa ao Plástico

hibiki_an

Levar marmita sempre me incomodou de certa forma. Não sou adepta de andar com muitas bolsas. Pra mim quanto mais simples e menos coisas pra carregar melhor. Por isso, colocar a marmita na bolsa sempre foi um tabu pra mim. Colocava sempre na ecobag e enquanto eu levava ela ia virando, virando…às vezes entornava e às vezes chegava bem perto disso.

Todos os dias as pessoas utilizam sacos plásticos pra sanar esse tipo de problema e muitos outros. Pesquisei e encontrei várias “lancheiras” que as pessoas usam para levar comida para o trabalho, mas vi também que muitas delas são feitos de materiais poluentes e que não são biodegradáveis. Na maioria dos casos elas são feitas de poliéster e tem plásticos por dentro para reter o calor ou o frio.

Por isso, encontrei uma nova forma de levar a marmita. Com uma abordagem mais simples, o furoshiki é um método de amarração que permite que você crie a forma que você prefere a partir dos nós que dá em qualquer pano de algodão que você tenha em casa. Dependendo do pano, se ele for mais grosso ele pode até reter mais calor, como as marmitas convencionais. Abaixo você tem alguns exemplos de amarrações mas se procurar no Pinterest tem um monte de ideias maravilhosas!

060403-5

Você já usou o furoshiki? Já conhecia? Tem alguma outra forma de reduzir o plástico? Conta pra gente nos comentários!

Anúncios

Formas Simples de Fazer Menos Lixo

art-blur-close-up-1004112

Ah, o lixo! Esse inimigo que está sempre à espreita, aguardando você esquecer dele pra que ele se aposse de toda sua vida. Ele pode ser evitado ou repensado, sabia? Muita gente diz que o modo de vida zero waste é difícil e que dá muito trabalho, mas é tudo uma questão de hábito realmente. Por isso, trouxe dicas bem práticas que você pode substituir ou incluir na sua rotina pra que produza menos lixo. É claro que a lista não tem fim, mas tentei me ater aos itens abaixo.

Carregue sua própria ecobag. Eu carrego sempre duas na bolsa, mas tenho uma ecobag no armário que guarda todas as outras ecobags que eu tenho. Quando vou fazer compras, sempre levo duas a mais caso apareça algo que esqueci de comprar. Elas também servem pra levar outros itens que não caibam na sua bolsa normal ou até mesmo pra levar sua marmita.

Tenha sempre uma garrafa e/ou copo. Confesso que quase nunca levo garrafa para os lugares porque sinto que a mochila fica muito pesada. Mas sempre levo meu copo retornável para tudo que é canto. Acredite, você sempre vai querer beber alguma coisa.

Leve seu almoço de casa e prefira sempre fazer o que você come. Primeiramente, você deve programar o que irá comer ao longo da semana pra evitar excessos. Depois de feita, a comida pode ser levada para o trabalho como marmita. Leve também sempre uma fruta para o lanche fora de hora.

Caso coma fora leve seu pote e seus próprios talheres. Esse tipo de atitude pode assustar algumas pessoas e elas vão tentar te deter. Mas não desista! Você está fazendo o que é certo pelo meio ambiente. Não esqueça de levar seu próprio guardanapo de pano também!

Recuse todo tipo de descartável. Essa é a importância de levar sempre seu kit com você. Evite descartes.

Tenha suas bolsinhas de feira. Sabe aquelas sacolinhas de feira que as pessoas normalmente embalam os legumes pra pesar? Você não precisa delas! Elas podem ser facilmente substituídas por sacolinhas de sapato por exemplo. É claro que você vai lavá-las antes de utilizá-las, não é mesmo?

Guarde todas as sobras de comida. Sempre que não aguentar mais ou caso sobre almoço, guarde para comer mais tarde ou em outro dia.

Reutilize potes de vidro. Os seus potes comprados no mercado com condimentos e outras coisas podem ser reutilizados para guardar sobras de comidas, saladas, sucos, etc. São milhares de maneiras diferentes!

Prefira compras à granel. Ao invés de comprar tudo ensacado no mercado, verifique primeiro se a loja à granel perto da sua casa tem os itens que você precisa! Hoje existe uma infinidade de produtos à granel! Até coisas que você nem imagina!

Use escova de dentes de bambu. É sempre melhor que você utilize uma escova de bambu porque ela é biodegradável e quando acabar a vida útil você pode compostá-la. Verifique se a que você tem é com cerdas naturais ou sintéticas. As que vendem no Brasil são sintéticas. Nesse caso, as cerdas não podem ser compostadas.

Faça seus próprios produtos ou compre de um pequeno produtor. Hoje em dia existem vários tutoriais na internet ensinando a fazer produtos zero waste de todo tipo. Mas, caso você não tenha muito tempo ou paciência, faça como eu e compre em um pequeno produtor. Mas atenção: pergunte quais são os ingredientes presentes na fórmula, teste, pergunte se faz logística reversa, peça transparência sempre! Não é porque é pequeno produtor que o negócio é zero waste. Compre localmente também!

Use um barbeador reutilizável. Imagina só se você tivesse que catar lixo no aterro e se cortasse com o barbeador de alguém que você nem faz ideia quem é. Essa infelizmente é a realidade de muita gente, por isso, pense sempre nisso antes de pensar em utilizar aquelas lâminas recarregáveis ou o barbeador descartável. Compre um que seja utilizado pela vida toda e que você troque apenas as lâminas dentro dele.

Doe com intenção. Todas as coisas que não cabem mais ou que você não gosta mais, podem ser doadas, mas elas devem ser doadas com intenção. Vá em locais que realmente necessitam e não doe simplesmente para se livrar dos seus pertences.

Pegue livros emprestados. Se você ama ler como eu, pegue emprestado livros que você tenha interesse de ler. Faça um clube do livro com amigos que gostam de ler tanto quanto você e visite sua biblioteca local com mais frenquência. Pegar emprestado não se limita apenas a livros, você pode pedir qualquer item que vá usar rapidamente a um vizinho, por exemplo.

Compre de segunda mão. Brechós estão aí pra dizer o quanto é legal comprar de segunda mão. Mas existem também antiquários, vendas de garagem ou até mesmo feiras de troca. Sites de venda de segunda mão também servem.

Reutilize coisas que já tem. Com certeza você tem alguma toalha que não usa mais e pode virar pano de chão ou até mesmo lencinhos. Pense sempre em adquirir objetos que possam ser reutilizados quando não puderem mais ser usados na forma original. Pinterest tem várias ideias de reutilização.

Apenas lave suas roupas depois de alguns usos. Tem gente que usa a roupa uma vez e já acha que tem que botar pra lavar. Quando usar uma vez, coloque na corda pra tomar um ar e reutilize outras vezes. Quando estiver com um cheiro estranho aí sim você pode colocar pra lavar.

Poupe energia. Atitudes simples como abrir a janela ao invés de usar ventilador, apagar a luz quando for ver TV, etc. Use energia apenas quando não tiver outra alternativa.

Use shampoo e condicionador em barra. Vários pequenos produtores vendem sabonetes, shampoos e condicionadores em barra pelados. Prefira comprar desses ou fazer o seu próprio pra reduzir descarte de embalagens.

Tenha um coletor menstrual ou um absorvente de pano. Essa é bem auto-explicativa. Tem gente que acha o coletor muito caro. Mas nesses momentos vale mais à pena pagar caro por uma coisa que você vai usar pra sempre do que ficar comprando absorvente e poluindo o meio ambiente.

Poupe água. Quando for escovar os dentes, feche a torneira; procure novas alternativas para gastar menos água quando for lavar a louça, etc.

Composte restos de comida biodegradável. Vegetais, frutas, legumes, dentre outras coisas podem ser compostados. Se você não tem uma composteira em casa, veja algum serviço na sua cidade que composte sua comida.

Tenha uma mini-horta em casa. Nem todos podem ter uma grande horta com todas as coisas que vai comer (seria um sonho!), mas você pode produzir seus próprios condimentos, por exemplo. Tem no Pinterest também!

Troque suas esponjas por bucha vegetal. A bucha é biodegradável e compostável e as esponjas são de plástico, que vai virar lixo no aterro. Ame a bucha e seja feliz lavando a louça e se ensaboando no banho.

Recicle. Tudo o que você não puder recusar, reduzir, reutilizar ou compostar, recicle. A reciclagem não é a solução dos problemas do meio ambiente. Mas, caso não tenha outro jeito, estude mais para reciclar da maneira correta.

Tente reduzir seu consumo de papel. Sei que vão dizer que papel pode ser reciclado, mas ele pode, antes de tudo ser reduzido. Eu reciclo o meu papel com a Schopf Papier que tem pontos de reciclagem no RJ. Mas você pode procurar um ponto na sua cidade e também pode reduzir seu consumo de papel escrevendo no celular, na tablet ou no computador, por exemplo.

Ufa! Achou muito difícil? Lembrando que todas essas mudanças serão reforçadas através do hábito. Compartilhe com os seus conhecidos e cada vez mais as pessoas vão se adaptar melhor e mais rápido produzindo cada vez menos lixo. Caso você tenha mais alguma dica, deixe nos comentários!

A grama do vizinho é sempre mais verde

landfill-1024x682

Essa semana uma notícia me chamou a atenção. A notícia em questão é de que a grande maioria dos nossos municípios tem dívidas com os aterros sanitários. O rombo já é maior do que R$ 10 bilhões. E não é só isso: descartamos nosso lixo como se ele não fosse mais existir a partir do momento em que colocamos ele na lata para ser levado pro lixão.

Já não é de hoje que eu acompanho como a realidade de alguns países é diferente da nossa, em diferentes áreas. Muitas pessoas que visitam outros países dizem que “eles são mais limpos do que nós”, “que são mais bem educados”. Isso faz eu me perguntar: por que não podemos ser limpos também? Por que não podemos ser educados?

Eu não acredito que o lixão tenha que ser parte de uma realidade ruim. Podemos construir um lixo mais saudável. E isso tem que começar dentro de casa. Precisamos separar nosso lixo para que ele possa ser reciclado e não vire a montanha de toneladas de lixo que vão para o aterro todos os dias.

Devemos também nos concentrar em reduzir nosso lixo. Fazer nossa comida de maneira mais natural que não necessite embalagens é uma delas. E, acreditem, só essa parte do dia-a-dia já reduz metade do lixo que uma pessoa produz no dia.

No Japão, por exemplo, já existe aproveitamento de quase todo lixo produzido. Ele vira energia ou é reciclado de outras maneiras. De tudo que é levado ao lixão apenas 4% não é aproveitado para nada. Esse tipo de iniciativa gera emprego para muitas pessoas, sem contar no lucro que o aterro tem por vender o material reciclado para grandes empresas. Ninguém sai perdendo.

Volto para a mesma pergunta de antes: por que ainda não fazemos isso aqui? Só tem resultado bom! Tanto para a sociedade, quando você consegue um retorno financeiro para eles; quanto para a economia, já que você vai ter um novo tipo de mercado e aumenta o poder de compra que antes muitas outras pessoas não tinham; e o mais importante: o meio ambiente agradece por ter um lugar que será mais bem cuidado, limpo e que tem espaço para plantar mais árvores.

Um país que está com uma crise hídrica grave tem que mudar sua visão e prol da natureza.

Você recicla o seu lixo? Qual a sua relação com ele? Deixe nos comentários!

Coisas para fazer ao invés de comprar

green-shopping

A rotina corrida não permite que tenhamos mais consciência na hora também de escolher o que fazer de uma forma que não gastemos dinheiro. Não é ser pão-duro, é só uma questão de mudar sua mentalidade em relação às coisas que já faz no automático. Então vou sugerir coisas que você pode fazer que não necessitem de dinheiro e não despertem seus olhos para vitrines de lojas.

  1. Vá a parques. Eu sou muito sortuda de viver em uma cidade que tem muitos parques e eu adoro ir a todos eles porque adoro tirar foto da natureza e também gosto de estar em contato com ela. Além do mais, parques são uma ótima forma de você respirar um ar mais limpo e a grande maioria é gratuita, então não creio que existam contras quanto a isso.
  2. Passar o tempo com alguém. Dedique seu tempo a alguém, seja para ver TV, conversar, cozinhar junto, o que for. Você pode fazer um lanche com algum amigo, chamar para assistir um filme em casa, etc.
  3. Destralhar suas coisas. Aqui tem um post melhor explicado de como você pode montar um armário do seu jeito, mas você também pode dar uma geral na casa toda para ver se tem coisas fora da validade ou que você não quer mais e que pode doar.
  4. Vá a biblioteca. No Rio existe a Biblioteca Parque que além de ser um ambiente onde você tem paz pra ler os livros que você quiser, de quebra é uma das bibliotecas mais bonitas que eu já vi. Mas se não tiver bibliotecas na sua cidade ou se você não mora perto de uma, pegue livros emprestados com amigos. Vocês podem discutir as ideias dos livros que já leram.
  5. Comece um projeto. O ano já começou e ele não vai parar porque você está com preguiça. Então, nunca é tarde pra começar um projeto que você tenha em mente. Delineie o processo, como eu expliquei nesse post e apenas comece.
  6. Faça algo novo. Pode ser aprender a cozinhar, ou a tricotar/costurar. Chame alguém que entenda do assunto ou veja vídeos na internet pra aprender como fazer. Acredite, se você pensou em aprender algo com certeza o youtube tem vídeos para isso.
  7. Ligue para alguém. Se você é como eu e não gosta de telefone você pode conversar cara-a-cara, visitando um amigo ou até mesmo via What’s App. É mais ou menos a mesma dica do número dois.
  8. Tire um cochilo. Dormir é tão bom! Então, se você tem tempo pra fazer compras significa que você tem tempo pra dormir. Prefira a segunda opção.
  9. Assista um filme. Filmes são umas das melhores invenções do mundo. E existem filmes para todos os gostos. Hoje em dia, com a ajuda da internet o que não faltam são filmes online. Então escolha um e divirta-se.
  10. Seja voluntário. A vida não se trata apenas de receber. Então procure uma instituição de caridade e doe seu tempo a ela. Visite a instituição, participe dos eventos, fale com as pessoas pra entender de que forma você pode ajudar melhor.

Se depois de todas essas atividades, mesmo assim você decidir fazer compras tenha consciência com as suas compras. Tenha a certeza de que sejam coisas essenciais e assim não será um gasto e sim, um investimento!

Alguém tem mais dicas sobre o que fazer ao invés de fazer compras? Deixe nos comentários!

Como montar um armário do seu jeito

clothes-closet.jpg

Uma das primeiras coisas que as pessoas costumam fazer quando o ano começa é colocar a vida em ordem e geralmente, uma das primeiríssimas coisas que eles fazem é olhar as coisas que estão nos armários.

Não espere um post sobre armários de 33 peças apenas nem armário cápsula. Embora eu goste muito de ver artigos relacionados a esses temas, eu quero abordar o tema por um outro lado, que se preocupa com o meio ambiente e se responsabiliza pelo que consome.

Existem alguns passos que você pode seguir para montar um armário legal, mas tenha sempre em mente que ele nunca será ideal porque nosso estilo muda, os ambientes que nós vamos também muda e há uma série de coisas que levam a gente a ir trocando determinados aspectos do nosso armário. E vamos ser bem sinceros, nunca ficamos satisfeitos com nada por mais que esteja perto da perfeição. Sem mais delongas vamos às dicas.

  1. Pense no seu estilo. Essa é uma das coisas mais difíceis de fazer. Eu mesma não tenho um estilo definido, me visto de acordo com o meu humor e o local para onde vou. Então, a dica que eu dou nessa parte é tentar olhar para dentro do seu armário e enxergar qual o estilo que você aparenta ter. Você tem que pensar também no local onde você vive: se é um lugar quente ou frio, se chove muito. Seu armário tem que se adequar a isso também.
  2. Use o Pinterest. Eu comecei a usar o Pinterest para montar um armário que eu possa realmente utilizar todas as peças ao longo dos anos e amar todas elas combinando de formas diferentes. É lá também que eu monto quadros de inspiração para roupas que eu gosto e que eu posso vir a comprar no futuro.

im1.png

  1. Veja quais são suas cores, texturas e estampas. Com certeza tem algumas cores que você repete em diferentes peças de roupa. Eu, por exemplo, adoro branco, preto e azul, mas também adoro listras. Mais uma vez você tem que olhar para o seu armário para conseguir ver isso. Utilize um caderno para anotar as particularidades do seu armário.
  2. Não compre mais. Tente trabalhar o que você já tem para que não seja necessário comprar novas roupas. Caso realmente seja necessário, pesquise brechós na sua cidade que você possa comprar e quando for, já leve algumas ideias de roupas que você gostaria de comprar. Assim, você pode explicar para o vendedor o que você está procurando.
  3. Doe o que não pode utilizar mais de uma vez. No meu armário só tem coisas que eu posso utilizar pelo menos de três formas diferentes. Por exemplo: tem uma blusa verde que pode ser usada com short, saia ou calça jeans ou uma calça mais arrumada. Vocês podem fazer diferentes combinações, com a ajuda do Pinterest ou algum(a) amiga(o). Se for necessário fotografe as combinações para que você consiga lembrar mais fácil quando precisar sair. Se tiver alguma peça que eu não utilizo, que não me trás alegria de usar ou qualquer outro motivo, eu dôo para caridade ou vendo para o brechó.
  4. Selecione bons sapatos. Eu tenho poucos sapatos. De maneira bem básica tenho um tipo de sapato para cada tipo de ocasião. Tenho apenas uma bota, dois tênis, uma rasteirinha, um salto alto, um salto médio, uma sapatilha. Se eu não estiver esquecendo de nada, é só isso mesmo. Mas por que tão poucos? Porque eu tendo a me enrolar se existirem muitas opções, então prefiro ter poucos e de cores neutras, assim posso combinar mais, dependendo da ocasião.
  5. Acessorize. Essa dica é opcional porque tem muita gente que gosta de acessórios e tem muita gente que não gosto. Eu gosto de acessórios mas não gosto de exageros. Como eu moro no Rio de Janeiro fica bem difícil de usar acessórios de uma forma geral por causa do calor. Não gosto de coisas grudando em mim. Mas se você é a favor de acessórios pense quais vão com quais peças de roupa.

Comprar roupas é um hábito que pode ser cultivado da maneira certa. Você não precisa comprar uma roupa porque ela está barata ou no primeiro impulso de desejo. Criando um armário com a sua cara com o que você já tem desenvolve o seu gosto pelas coisas que estão na sua casa e te previnem de criar mais lixo comprando de marcas que escravizam famílias inteiras e gastam muita água.

Montar o seu armário leva tempo, eu mesma ainda estou montando o meu, mas com paciência você pode ser a pequena parcela de quem muda o mundo.

Vou deixar um vídeo de inspiração para vocês pensarem mais sobre suas roupas e que não precisamos ter muitas peças para sermos felizes. Essa menina usou o mesmo vestido durante 30 dias, de diferentes formas. Você não precisa usar a mesma roupa durante 30 dias, mas ajuda a exercitar o cérebro se você tentar utilizar o menor número de peças em 30 dias, por exemplo.

Alguém tem outras dicas? Deixe nos comentários!

Minhas resoluções de 2017

ano-novo-milldesk-1024x512-640x320

O ano está começando e com ele vem os sonhos. Sonhos de mudar para melhor, já que 2016 foi péssimo para a maioria das pessoas. Não estou falando apenas da crise financeira aqui no Brasil. Tivemos tragédias além do normal com terremotos atingindo vários países e ciclones tirando a moradia de tantos outros. Tivemos o Brexit que por si só nem precisa de explicações e o “evento Trump” que, na minha opinião desbanca todos os outros problemas dado o fato que ele sozinho consegue causar todos os outros.

Mas sejamos mais positivos nesse 2017! Vamos todos batalhar para que ele seja um ano inesquecível mas que seja bom. Que seja o ano do crescimento pessoal e coletivo do nosso planeta.

Tenho certeza de que muitos estão procurando alcançar o maior número de metas para esse ano. Infelizmente, quando o ano de fato começa bate aquela preguiça e acabamos não fazendo nada. Começamos a deixar tudo para a última hora e acabamos caindo em antigos hábitos. Primeiramente, se queremos mudar a nossa atual situação e realmente crescer e progredir, essa mudança tem que começar dentro de nós.

É claro que no início vai ser difícil porque não estamos acostumados a nos puxar ao máximo. Normalmente apenas dizemos aquele mesmo discurso: “Depois eu faço”, “Estou de férias”, “A primeira semana do ano é reservada para o descanso”.

A verdade, meu amigo, é que se você não fizer, ninguém fará por você. Então, vamos ver de que forma podemos melhor utilizar as nossas tarefas para que elas nos ajudem a alcançar as nossas metas.

  1. Tenha poucas metas – As vezes sonhamos muito alto e acabamos colocando muitas metas para nós. Não vou te dar um número certo porque isso varia de pessoa para pessoa. Mas o importante é não ter muitas metas senão você perde o foco.
  2. Metas tangíveis – Não adianta escrever que você quer ser um bom profissional como meta. Isso é muito genérico. Também não adianta dizer que quer perder peso apenas. Uma meta alcançável seria perder quatro quilos até o final de Março, por exemplo. Seja específico com as suas metas.
  3. Tempo – Eu penso nas minhas metas não ao longo do ano como um todo e sim, em trimestres. As metas que tenho hoje podem acabar sendo claramente impossíveis na prática. Por isso, de três em três meses eu prefiro revisá-las com calma. Se eu puder mantê-las para os próximos três meses, ótimo. Senão, fico feliz em estabelecer novas metas.
  4. Delineie seus passos – É muito importante que você escreva todos os passos para atingir as suas metas. Se você quer perder quatro quilos até Março você pode pensar: me matricular na academia, treinar três vezes na semana, anotar meu peso ao fim de cada semana ou mês… Assim por diante.
  5. 18 antes de 2018 – Quando o ano está na reta final você pode se sentir desanimado por não ter completado muitas das suas metas. Mas tudo bem. O que eu faço é rever minhas metas e observar se há possibilidade de terminar o ano com chave de ouro, com tudo fechadinho. Muitas pessoas fazem a lista de coisas que ainda querem completar antes que o próximo ano chegue. Não é necessário que você faça exatamente a quantidade de coisas equivalente ao número do próximo ano, é apenas uma ideia.

Metas não precisam ser coisas muito difíceis, muito pelo contrário, você vai delinear o melhor caminho para alcançar os seus sonhos.

Para te motivar a mudar a sua vida vou contar as minhas metas para 2017.

Em 2017, quero ser ainda mais consciente sobre os problemas ambientais.

  • Vou me tornar vegetariana.
  • Ser mais consciente sobre as minhas compras
  • Abolir o plástico da minha vida
  • Encontrar alternativas para energia elétrica
  • Usar menos água
  • Fazer meus próprios produtos e usar apenas produtos orgânicos ou veganos.

E para que eu não deixe de trabalhar pelas minhas metas, eu vou escrever aqui todos os meses atualizações do que eu tenho feito para alcançá-las. Assim, não vou desistir delas e vocês podem sempre deixar dicas para mim nos comentários.

Provavelmente, muitos posts únicos sairão dessa lista. Então, fiquem ligados nos próximos posts e deixem nos comentários quais são as suas metas para 2017.

Expurgos

Há muitos anos atrás, quando eu era realmente fissurada por organização e produtividade, minha meta de vida era viver sem a necessidade de usar papel para tudo.

Dei uma geral no meu quarto e me desfiz de documentos que já tinham passado da validade e eliminei uma grande montanha de papéis que todo mundo categoriza como “outros” e vai crescendo como uma bola de neve.

Agora vamos à frente alguns anos e me vejo com uma quantidade exponencialmente menor do que nos anos anteriores. E, assim, ao longo dos anos fui me tornando cada vez menos dependente de papel.

Hoje consigo apreciar uma bela papelaria, quase chorar com tantas fofuras, mas consigo me conter em não comprar. Porque sei que não vou usar.

Esse ano, me dei conta de quanto plástico usamos em casa. Tenho duas cachorras então eles de certa forma acabam sendo úteis quando elas vão ao “banheiro”. Mas notei que, na grande maioria dos casos podemos eliminar ou reduzir consideravelmente a quantidade de plástico que utilizamos no dia-a-dia.

Essa é a minha meta para ano que vem: expurgar o plástico da minha vida. E eu gostaria de convidar todos que quiserem participar dessa meta também. Vou ficar muito feliz de ter outros para compartilhar novas formas de se livrar do plástico.

Aguardem os próximos posts para atualizações sobre as minhas metas para 2017.