O Mundo da Moda

shatenka-chernoe-plate-les

Recentemente, li um artigo que mostrava de que forma o mundo da moda pode ser um aliado e um vilão. Achei importante levantar essa questão aqui no blog já que a moda é uma indústria que toma cada vez mais proporções catastróficas.

Esse mercado bilionário é o segundo maior contribuidor para o aquecimento global sendo responsável por 10% de emissões de carbono, ela só perde para a indústria de óleo e gás.

Muito se fala sobre o trabalho escravo que é uma realidade na vida de famílias que vivem em lugares muito pobres, como no Camboja. No entanto, esse tipo de trabalho feito em condições precárias acaba por ser o único meio de subsistência dessas pessoas. Muitos não querem que acabe, mesmo sofrendo com o ganha-pão deles.

A dura realidade desses trabalhadores está mudando aos poucos com a ajuda de iniciativas que querem encontrar formas de exigir dos donos dessas grandes empresas dêem condições melhores de trabalho, assim como um salário maior para esses operários.

Mas o trabalho escravo não é o único problema. Estima-se que sejam gastos 1.300 litros de água só para fazer uma blusa. Imaginem o quanto uma fábrica inteira não gasta por dia. E não pára por aí. Leve em consideração também o gasto de água para o cultivo da matéria prima desses produtos. O algodão, por exemplo, gasta muito mais água e utiliza muito mais pesticidas do que a fibra de urtiga, que é um isolante térmico natural e não é atacada por muitas pragas.

Outro exemplo que vale a pena ser citado é o material polietileno que vocês já leram sobre aqui. Ele libera milhares de micropartículas que direto para os oceanos a cada lavagem que fazemos.

Muitas comunidades pobres em países como a Índia e Indonésia estão sofrendo porque indústrias têxteis estão acabando com fontes de pesca, como o Mar Aral que fica na Ásia Central. Ele está secando pouco a pouco por causa da utilização das fábricas. Isso sem contar na quantidade de poluição em outras bacias ao redor das fábricas, que acabam por deixar a população local doente e com doenças que não podem ser tratadas justamente por causa da baixa renda dessas famílias.

Isso deixa de ser apenas um problema social e ambiental e se torna um problema de todos. A quantidade de água existente hoje já não pode se revitalizar porque não damos o tempo devido para que ela se renove. Isso se dá pelo grande contingente populacional no mundo.

Já existem marcas de roupas que se preocupam em ser mais humanizadas e reduzir  seus impactos ambientais. Embora as intenções sejam ótimas, ainda assim estamos reduzindo ao invés de reduzir. Acho muito legais as propostas de lojas como Huge, Ada e Myneral, que apostam no modelo de upcycling que é um movimento muito importante rumo a um mundo #100lixo.

Brechós ainda são opção também quando você busca roupas novas por um custo menor. Antigamente era muito comum ver moças comprando roupas usadas em lojas que eram chamadas de boutiques e tinham ares mais glamurosos. Podemos voltar a ter esse tipo de cultura para gerar menos lixo, rendas para esses vendedores e gastar menos água. Nesse momento, essas são as opções de menos impacto.

Deixe sua opinião nos comentários e poste suas fotos #100lixo no Instagram.

Fontes: +Alma, Forbes

Imagem: Google

Coisas para fazer ao invés de comprar

green-shopping

A rotina corrida não permite que tenhamos mais consciência na hora também de escolher o que fazer de uma forma que não gastemos dinheiro. Não é ser pão-duro, é só uma questão de mudar sua mentalidade em relação às coisas que já faz no automático. Então vou sugerir coisas que você pode fazer que não necessitem de dinheiro e não despertem seus olhos para vitrines de lojas.

  1. Vá a parques. Eu sou muito sortuda de viver em uma cidade que tem muitos parques e eu adoro ir a todos eles porque adoro tirar foto da natureza e também gosto de estar em contato com ela. Além do mais, parques são uma ótima forma de você respirar um ar mais limpo e a grande maioria é gratuita, então não creio que existam contras quanto a isso.
  2. Passar o tempo com alguém. Dedique seu tempo a alguém, seja para ver TV, conversar, cozinhar junto, o que for. Você pode fazer um lanche com algum amigo, chamar para assistir um filme em casa, etc.
  3. Destralhar suas coisas. Aqui tem um post melhor explicado de como você pode montar um armário do seu jeito, mas você também pode dar uma geral na casa toda para ver se tem coisas fora da validade ou que você não quer mais e que pode doar.
  4. Vá a biblioteca. No Rio existe a Biblioteca Parque que além de ser um ambiente onde você tem paz pra ler os livros que você quiser, de quebra é uma das bibliotecas mais bonitas que eu já vi. Mas se não tiver bibliotecas na sua cidade ou se você não mora perto de uma, pegue livros emprestados com amigos. Vocês podem discutir as ideias dos livros que já leram.
  5. Comece um projeto. O ano já começou e ele não vai parar porque você está com preguiça. Então, nunca é tarde pra começar um projeto que você tenha em mente. Delineie o processo, como eu expliquei nesse post e apenas comece.
  6. Faça algo novo. Pode ser aprender a cozinhar, ou a tricotar/costurar. Chame alguém que entenda do assunto ou veja vídeos na internet pra aprender como fazer. Acredite, se você pensou em aprender algo com certeza o youtube tem vídeos para isso.
  7. Ligue para alguém. Se você é como eu e não gosta de telefone você pode conversar cara-a-cara, visitando um amigo ou até mesmo via What’s App. É mais ou menos a mesma dica do número dois.
  8. Tire um cochilo. Dormir é tão bom! Então, se você tem tempo pra fazer compras significa que você tem tempo pra dormir. Prefira a segunda opção.
  9. Assista um filme. Filmes são umas das melhores invenções do mundo. E existem filmes para todos os gostos. Hoje em dia, com a ajuda da internet o que não faltam são filmes online. Então escolha um e divirta-se.
  10. Seja voluntário. A vida não se trata apenas de receber. Então procure uma instituição de caridade e doe seu tempo a ela. Visite a instituição, participe dos eventos, fale com as pessoas pra entender de que forma você pode ajudar melhor.

Se depois de todas essas atividades, mesmo assim você decidir fazer compras tenha consciência com as suas compras. Tenha a certeza de que sejam coisas essenciais e assim não será um gasto e sim, um investimento!

Alguém tem mais dicas sobre o que fazer ao invés de fazer compras? Deixe nos comentários!

Como montar um armário do seu jeito

clothes-closet.jpg

Uma das primeiras coisas que as pessoas costumam fazer quando o ano começa é colocar a vida em ordem e geralmente, uma das primeiríssimas coisas que eles fazem é olhar as coisas que estão nos armários.

Não espere um post sobre armários de 33 peças apenas nem armário cápsula. Embora eu goste muito de ver artigos relacionados a esses temas, eu quero abordar o tema por um outro lado, que se preocupa com o meio ambiente e se responsabiliza pelo que consome.

Existem alguns passos que você pode seguir para montar um armário legal, mas tenha sempre em mente que ele nunca será ideal porque nosso estilo muda, os ambientes que nós vamos também muda e há uma série de coisas que levam a gente a ir trocando determinados aspectos do nosso armário. E vamos ser bem sinceros, nunca ficamos satisfeitos com nada por mais que esteja perto da perfeição. Sem mais delongas vamos às dicas.

  1. Pense no seu estilo. Essa é uma das coisas mais difíceis de fazer. Eu mesma não tenho um estilo definido, me visto de acordo com o meu humor e o local para onde vou. Então, a dica que eu dou nessa parte é tentar olhar para dentro do seu armário e enxergar qual o estilo que você aparenta ter. Você tem que pensar também no local onde você vive: se é um lugar quente ou frio, se chove muito. Seu armário tem que se adequar a isso também.
  2. Use o Pinterest. Eu comecei a usar o Pinterest para montar um armário que eu possa realmente utilizar todas as peças ao longo dos anos e amar todas elas combinando de formas diferentes. É lá também que eu monto quadros de inspiração para roupas que eu gosto e que eu posso vir a comprar no futuro.

im1.png

  1. Veja quais são suas cores, texturas e estampas. Com certeza tem algumas cores que você repete em diferentes peças de roupa. Eu, por exemplo, adoro branco, preto e azul, mas também adoro listras. Mais uma vez você tem que olhar para o seu armário para conseguir ver isso. Utilize um caderno para anotar as particularidades do seu armário.
  2. Não compre mais. Tente trabalhar o que você já tem para que não seja necessário comprar novas roupas. Caso realmente seja necessário, pesquise brechós na sua cidade que você possa comprar e quando for, já leve algumas ideias de roupas que você gostaria de comprar. Assim, você pode explicar para o vendedor o que você está procurando.
  3. Doe o que não pode utilizar mais de uma vez. No meu armário só tem coisas que eu posso utilizar pelo menos de três formas diferentes. Por exemplo: tem uma blusa verde que pode ser usada com short, saia ou calça jeans ou uma calça mais arrumada. Vocês podem fazer diferentes combinações, com a ajuda do Pinterest ou algum(a) amiga(o). Se for necessário fotografe as combinações para que você consiga lembrar mais fácil quando precisar sair. Se tiver alguma peça que eu não utilizo, que não me trás alegria de usar ou qualquer outro motivo, eu dôo para caridade ou vendo para o brechó.
  4. Selecione bons sapatos. Eu tenho poucos sapatos. De maneira bem básica tenho um tipo de sapato para cada tipo de ocasião. Tenho apenas uma bota, dois tênis, uma rasteirinha, um salto alto, um salto médio, uma sapatilha. Se eu não estiver esquecendo de nada, é só isso mesmo. Mas por que tão poucos? Porque eu tendo a me enrolar se existirem muitas opções, então prefiro ter poucos e de cores neutras, assim posso combinar mais, dependendo da ocasião.
  5. Acessorize. Essa dica é opcional porque tem muita gente que gosta de acessórios e tem muita gente que não gosto. Eu gosto de acessórios mas não gosto de exageros. Como eu moro no Rio de Janeiro fica bem difícil de usar acessórios de uma forma geral por causa do calor. Não gosto de coisas grudando em mim. Mas se você é a favor de acessórios pense quais vão com quais peças de roupa.

Comprar roupas é um hábito que pode ser cultivado da maneira certa. Você não precisa comprar uma roupa porque ela está barata ou no primeiro impulso de desejo. Criando um armário com a sua cara com o que você já tem desenvolve o seu gosto pelas coisas que estão na sua casa e te previnem de criar mais lixo comprando de marcas que escravizam famílias inteiras e gastam muita água.

Montar o seu armário leva tempo, eu mesma ainda estou montando o meu, mas com paciência você pode ser a pequena parcela de quem muda o mundo.

Vou deixar um vídeo de inspiração para vocês pensarem mais sobre suas roupas e que não precisamos ter muitas peças para sermos felizes. Essa menina usou o mesmo vestido durante 30 dias, de diferentes formas. Você não precisa usar a mesma roupa durante 30 dias, mas ajuda a exercitar o cérebro se você tentar utilizar o menor número de peças em 30 dias, por exemplo.

Alguém tem outras dicas? Deixe nos comentários!