Balanço do Mês de Março

DESTAQUE_OUTONO

Nos últimos meses eu venho atualizando vocês em relação às minhas metas de até o fim do ano conseguir produzir zero de lixo ou implementar ideias pra que eu chegue bem perto disso.

Desde que eu comecei a realizar alternativas no meu dia-a-dia, eu tenho notado algumas dificuldades. A maior delas vem do preconceito das pessoas. Em uma das minhas tentativas de pedir um copo de vidro que era usado no estabelecimento apenas para água, fui tratada como se fosse uma criança. Quando perguntei à garçonete se ela podia trazer meu milkshake no copo de vidro ela prontamente disse: “nossa empresa trabalha de forma padronizada e não podemos colocar o milkshake no copo de vidro. Mas não se preocupe [com um sorriso irônico], vamos reutilizar o seu copo, fofa.”

Em outras situações ainda sou tachada de louca porque “é impossível viver sem plástico”. Mas mesmo essas barreiras preconceituosas não deixam eu me desanimar.

Nesse mês tive outros tipos de empecilhos. Tive treinamentos, trabalhos da faculdade, além do meu próprio trabalho diário. Com a falta de tempo a gente começa a entender a importância de desacelerar e planejar a nossa forma de produzir menos lixo.

Eu não costumo ter grandes problemas em relação a compra de bens de consumo como roupas, cosméticos e etc. Mas tenho uma grande fraqueza por comida. Na correria eu acabei por esquecer minha comida em casa, as frutas que sempre como, por exemplo. Com isso, tive que apelar para a padaria. Tamanha foi a minha surpresa quando cheguei lá e descobri que NADA vem sem embalagens. A única coisa que vem sem embalagem é o pão na chapa que eu nunca como. Até a canjica, que é feita por eles, vem numa embalagem de isopor que depois será descartada.

Então vocês já podem imaginar que eu acabei produzindo uma quantidade considerável de lixo, mas aviso logo que a minha lista não está completa:

  • 3 pacotes pequenos de balas de leite
  • um pacote de chiclete
  • 3 cartelas de remédios
  • muitas notas fiscais
  • 2 pacotes de biscoito
  • 2 sacolas de plástico
  • 3 embrulhos de bombom que ganhei de presente
  • 2 quentinhas de isopor
  • 2 pacotes de chocolate

Continuarei levando comida de casa sempre que necessário, mas dessa vez vou planejar melhor meus lanches para que eu não repita frutas nem me sinta tentada a comprar coisas embaladas.

Em Abril vou guardar todas as embalagens que eu comprar, além de notas fiscais que iriam para o lixo pra fazermos juntos uma análise do que devo melhorar. Enquanto isso vamos postar com a hashtag #100lixo para mostrar alternativas melhores ao longo do mês.

Quais as suas formas de produzir menos lixo? Conte nos comentários!

Anúncios

Coisas para fazer ao invés de comprar

green-shopping

A rotina corrida não permite que tenhamos mais consciência na hora também de escolher o que fazer de uma forma que não gastemos dinheiro. Não é ser pão-duro, é só uma questão de mudar sua mentalidade em relação às coisas que já faz no automático. Então vou sugerir coisas que você pode fazer que não necessitem de dinheiro e não despertem seus olhos para vitrines de lojas.

  1. Vá a parques. Eu sou muito sortuda de viver em uma cidade que tem muitos parques e eu adoro ir a todos eles porque adoro tirar foto da natureza e também gosto de estar em contato com ela. Além do mais, parques são uma ótima forma de você respirar um ar mais limpo e a grande maioria é gratuita, então não creio que existam contras quanto a isso.
  2. Passar o tempo com alguém. Dedique seu tempo a alguém, seja para ver TV, conversar, cozinhar junto, o que for. Você pode fazer um lanche com algum amigo, chamar para assistir um filme em casa, etc.
  3. Destralhar suas coisas. Aqui tem um post melhor explicado de como você pode montar um armário do seu jeito, mas você também pode dar uma geral na casa toda para ver se tem coisas fora da validade ou que você não quer mais e que pode doar.
  4. Vá a biblioteca. No Rio existe a Biblioteca Parque que além de ser um ambiente onde você tem paz pra ler os livros que você quiser, de quebra é uma das bibliotecas mais bonitas que eu já vi. Mas se não tiver bibliotecas na sua cidade ou se você não mora perto de uma, pegue livros emprestados com amigos. Vocês podem discutir as ideias dos livros que já leram.
  5. Comece um projeto. O ano já começou e ele não vai parar porque você está com preguiça. Então, nunca é tarde pra começar um projeto que você tenha em mente. Delineie o processo, como eu expliquei nesse post e apenas comece.
  6. Faça algo novo. Pode ser aprender a cozinhar, ou a tricotar/costurar. Chame alguém que entenda do assunto ou veja vídeos na internet pra aprender como fazer. Acredite, se você pensou em aprender algo com certeza o youtube tem vídeos para isso.
  7. Ligue para alguém. Se você é como eu e não gosta de telefone você pode conversar cara-a-cara, visitando um amigo ou até mesmo via What’s App. É mais ou menos a mesma dica do número dois.
  8. Tire um cochilo. Dormir é tão bom! Então, se você tem tempo pra fazer compras significa que você tem tempo pra dormir. Prefira a segunda opção.
  9. Assista um filme. Filmes são umas das melhores invenções do mundo. E existem filmes para todos os gostos. Hoje em dia, com a ajuda da internet o que não faltam são filmes online. Então escolha um e divirta-se.
  10. Seja voluntário. A vida não se trata apenas de receber. Então procure uma instituição de caridade e doe seu tempo a ela. Visite a instituição, participe dos eventos, fale com as pessoas pra entender de que forma você pode ajudar melhor.

Se depois de todas essas atividades, mesmo assim você decidir fazer compras tenha consciência com as suas compras. Tenha a certeza de que sejam coisas essenciais e assim não será um gasto e sim, um investimento!

Alguém tem mais dicas sobre o que fazer ao invés de fazer compras? Deixe nos comentários!

Tipos de Plástico

recycle-points-icons

Quando eu tomei a decisão de não produzir lixo nenhum, uma das minhas maiores preocupações era não comprar produtos que venham em embalagens plásticas porque depois que eu os usasse eu teria que descartá-los, já que plástico não pode ser compostado e para reciclá-lo é difícil se você não é de fato uma empresa de reciclagem.

Tendo isso em mente eu procurei saber mais sobre aqueles símbolos que sempre vem em embalagens de produtos que eu ainda não deixei de consumir. Por exemplo: margarina, iogurte, requeijão, etc. Então fui em busca de informações sobre os tipos de plástico e quais podem ser mesmo reciclados.

Primeira coisa que você faz quando decide comprar determinado produto é olhar a embalagem. Essa embalagem pode estar classificada dentro de qualquer um desses padrões abaixo.

simbolos_plasticos

Reparou que a maioria deles começa com o prefixo poli? Isso acontece porque todos eles utilizam o mesmo composto base que é altamente tóxico, principalmente quando é esquentado, por exemplo. Isso vocês já estão carecas de saber. Mas qual é a particularidade de cada um deles?

Existem os termoplásticos e os termorrígidos. Os termoplásticos são os que podem ser reciclados justamente porque não liberam nenhum composto químico quando são aquecidos. Já os termorrígidos são os que não podem ser reciclados porque eles não se fundem quando são aquecidos e no processo de reciclagem essa parte é essencial.

São considerados termoplásticos os: PET (1), PEAD (2), PVC (3), PEBD/PELBD (4), PP (5), PS (6) e Outros (7). São esses que estão presentes na imagem ali em cima.

Na categoria de Outros (7) estão incluídos plásticos especiais e de engenharia, CDs, eletrodomésticos, carcaça dos computadores, que normalmente são usados por terem uma flexibilidade maior na hora de dar um design diferente ao objeto, eles são mais flexíveis.

É considerado termorrígido o plástico de nome PP que é encontrado em objetos como espumas de colchões e sofás, solados de sapato, interruptores, peças industriais elétricas, peças para banheiro, pratos, travessas, telefones, etc. Existe uma infinidade de coisas utilizando PP.

Sabendo disso, se você é uma pessoa que ainda tem o costume de utilizar plástico, na hora descartar, descarte-o da maneira correta. Vá a um posto de reciclagem na sua cidade, existem vários supermercados fazendo recolhimento de materiais recicláveis como plástico, vidro e papel, além de baterias e oléos utilizados na cozinha.

Tenha também a consciência de prestar mais atenção no que você compra. Acho que é uma questão de estar no momento também porque nos dias de hoje estamos sempre correndo e queremos sempre o que é mais prático e mais barato e, com isso, a qualidade de vida e até mesmo do produto acabam ficando para trás. Tente reduzir sempre seu consumo de plástico repensando de que formas você pode substituir o uso dele. Prometo trazer mais dicas de substituição do plástico pra vocês.

Deixem nos comentários quaisquer dicas que vocês tenham em relação ao consumo de plástico e dúvidas de algo que eu não tenha mencionado para um post futuro!

Minhas resoluções de 2017

ano-novo-milldesk-1024x512-640x320

O ano está começando e com ele vem os sonhos. Sonhos de mudar para melhor, já que 2016 foi péssimo para a maioria das pessoas. Não estou falando apenas da crise financeira aqui no Brasil. Tivemos tragédias além do normal com terremotos atingindo vários países e ciclones tirando a moradia de tantos outros. Tivemos o Brexit que por si só nem precisa de explicações e o “evento Trump” que, na minha opinião desbanca todos os outros problemas dado o fato que ele sozinho consegue causar todos os outros.

Mas sejamos mais positivos nesse 2017! Vamos todos batalhar para que ele seja um ano inesquecível mas que seja bom. Que seja o ano do crescimento pessoal e coletivo do nosso planeta.

Tenho certeza de que muitos estão procurando alcançar o maior número de metas para esse ano. Infelizmente, quando o ano de fato começa bate aquela preguiça e acabamos não fazendo nada. Começamos a deixar tudo para a última hora e acabamos caindo em antigos hábitos. Primeiramente, se queremos mudar a nossa atual situação e realmente crescer e progredir, essa mudança tem que começar dentro de nós.

É claro que no início vai ser difícil porque não estamos acostumados a nos puxar ao máximo. Normalmente apenas dizemos aquele mesmo discurso: “Depois eu faço”, “Estou de férias”, “A primeira semana do ano é reservada para o descanso”.

A verdade, meu amigo, é que se você não fizer, ninguém fará por você. Então, vamos ver de que forma podemos melhor utilizar as nossas tarefas para que elas nos ajudem a alcançar as nossas metas.

  1. Tenha poucas metas – As vezes sonhamos muito alto e acabamos colocando muitas metas para nós. Não vou te dar um número certo porque isso varia de pessoa para pessoa. Mas o importante é não ter muitas metas senão você perde o foco.
  2. Metas tangíveis – Não adianta escrever que você quer ser um bom profissional como meta. Isso é muito genérico. Também não adianta dizer que quer perder peso apenas. Uma meta alcançável seria perder quatro quilos até o final de Março, por exemplo. Seja específico com as suas metas.
  3. Tempo – Eu penso nas minhas metas não ao longo do ano como um todo e sim, em trimestres. As metas que tenho hoje podem acabar sendo claramente impossíveis na prática. Por isso, de três em três meses eu prefiro revisá-las com calma. Se eu puder mantê-las para os próximos três meses, ótimo. Senão, fico feliz em estabelecer novas metas.
  4. Delineie seus passos – É muito importante que você escreva todos os passos para atingir as suas metas. Se você quer perder quatro quilos até Março você pode pensar: me matricular na academia, treinar três vezes na semana, anotar meu peso ao fim de cada semana ou mês… Assim por diante.
  5. 18 antes de 2018 – Quando o ano está na reta final você pode se sentir desanimado por não ter completado muitas das suas metas. Mas tudo bem. O que eu faço é rever minhas metas e observar se há possibilidade de terminar o ano com chave de ouro, com tudo fechadinho. Muitas pessoas fazem a lista de coisas que ainda querem completar antes que o próximo ano chegue. Não é necessário que você faça exatamente a quantidade de coisas equivalente ao número do próximo ano, é apenas uma ideia.

Metas não precisam ser coisas muito difíceis, muito pelo contrário, você vai delinear o melhor caminho para alcançar os seus sonhos.

Para te motivar a mudar a sua vida vou contar as minhas metas para 2017.

Em 2017, quero ser ainda mais consciente sobre os problemas ambientais.

  • Vou me tornar vegetariana.
  • Ser mais consciente sobre as minhas compras
  • Abolir o plástico da minha vida
  • Encontrar alternativas para energia elétrica
  • Usar menos água
  • Fazer meus próprios produtos e usar apenas produtos orgânicos ou veganos.

E para que eu não deixe de trabalhar pelas minhas metas, eu vou escrever aqui todos os meses atualizações do que eu tenho feito para alcançá-las. Assim, não vou desistir delas e vocês podem sempre deixar dicas para mim nos comentários.

Provavelmente, muitos posts únicos sairão dessa lista. Então, fiquem ligados nos próximos posts e deixem nos comentários quais são as suas metas para 2017.